fbpx

Boteco do JB

Menu Close

pão com lingüiça

após certa idade é natural com que todos nós tomemos mais cuidado com alimentação.

eu mesmo cheguei num peso horroroso e estado de saúde deplorável muito graças a comidas bosta que geraram conteúdo que nem é tão bom.

infelizmente o cenário gastronômico é ainda mais grave que o etílico e isso se deve bastante à chatíssima militância.

é muita bandeira pra pouca comida.

de um lado temos millenials que mal sabem fritar um ovo com discursos insuportáveis sobre sustentabilidade. gente ryca que não tem o menor senso de noção da realidade vivida pelo trabalhador brasileiro. e dá-lhe comida orgânica, pão de fermentação natural, etc. na maior parte das vezes nem bom é.

quero ver falar pro sujeito que trabalha mais de dez horas seguidas que a lingüiça do prato dele tem salitre e que sua salada de tomate com cebola tem agrotóxico que mata.

menos, camaradas. menos.

para trilhar o caminho da alimentação saudável é preciso se despir da máscara da arrogância e escolher melhor o inimigo.

que sempre será o governo, independente de quem esteja no poder.

então não demonstre ar de superioridade em cima de quem compra uma bandejinha de veneno na prateleira de supermercado. ele é a vítima e por muitas vezes não tem informação, nem condição de agir de outra maneira. as pessoas dão o melhor que podem.

o inimigo não está ao seu lado, mas sempre acima de você.

alimentação saudável no brasil é privilégio de ryco. e a indústria alimentícia sapateia em cima da cabeça deles.

mas quem paga a conta mesmo é o pobre, que se fode cada vez mais sem ter lá muita noção do que está acontecendo.

além do governo, devemos combater também os malditos agropecuaristas que querem mais é que todos nós nos fodamos bonito.

faça a sua parte, tente se alimentar de boa maneira, distribua informação sem dar palestrinha, vote direito (na medida do possível).

claro que no final iremos perder, mas podemos perder bonito e do lado certo. o fracasso promete ser monumental.

© 2020 Boteco do JB. All rights reserved.

Theme by Anders Norén.